Alergias respiratórias: quais são e como evitá-las

Nas estações mais frias do ano, ou seja, inverno e outono, os mesmos vilões costumam aparecer: as alergias respiratórias.

Viroses, fumaça de cigarro, ambientes fechados para evitar contato com o ar frio e outros fatores, ou maus hábitos, são alguns dos maiores responsáveis pelas crises alérgicas respiratórias. 

Porém, já que a alergia, em geral, é uma resposta a um gatilho ambiental, é possível evitá-la.

Continue a leitura para conhecer os tipos de alergias que afetam nossas vias aéreas e o que fazer para evitá-las.

Quais os tipos de alergias respiratórias?

Toda alergia consiste em uma reação exagerada do organismo a algum elemento externo, como poeira, fungos, pêlos de animais, certos alimentos etc. 

Alguns desses alérgenos, isto é, substâncias que induzem alergias, podem resultar em afecções do sistema respiratório. 

Quando ocorre uma diminuição da umidade do ar e um aumento da concentração de poluentes, como no inverno, as alergias respiratórias podem se tornar ainda mais frequentes e intensas. 

Rinite alérgica

É a alergia que provoca os conhecidos sintomas de entupimento do nariz, coceira, espirros e coriza. Apesar de ser tradicionalmente respiratória, pode haver desconfortos na região dos olhos, ouvidos e garganta.

Nos ouvidos, o paciente sente a sensação de estalos e ‘ouvido cheio’. Já nos olhos e garganta, pode também haver coceira. 

Rinite x resfriado x gripe

São três doenças muito parecidas, veja como diferenciar de uma vez:

  • Rinite

A rinite é, geralmente, uma alergia que causa sintomas mais concentrados na região do nariz. Mas pode ser causada por vírus também. Dura de 7 a 10 dias, geralmente.

O resfriado, por sua vez, é necessariamente uma infecção causada por vírus. Pode durar de 3 a 7 dias e gera os mesmos sintomas, mas acrescido de tosse. 

Então se você está com rinite e tosse, pode ser que seja um resfriado. Mas ainda existe a possibilidade da tosse ser um gotejamento de secreção pós-nasal por sinusite associada — que torna o sintoma mais intenso à noite. 

Para ter certeza, é necessário procurar um médico. 

  • Gripe

Enfim, a gripe é uma doença respiratória causada especificamente pelo vírus Influenza. Pode levar até 14 dias e tem a possibilidade de evoluir para Pneumonia

Asma

A asma é uma doença crônica que deixa os brônquios, que são órgãos do sistema respiratório, mais sensíveis a qualquer irritação por alérgenos —  o que estreita as vias aéreas e prejudica a respiração. 

Ela é caracterizada por chiado no peito, tosse e falta de ar. Além disso, cerca de 80% das pessoas que têm asma, também possuem rinite. 

Como evitar uma crise alérgica respiratória?

Primeiro de tudo, é essencial manter os ambientes limpos. 

Inclusive, aquelas roupas pesadas de inverno que ficaram paradas há meses devem ser higienizadas pois, provavelmente, acumularam mofo e ácaro durante esse tempo. 

Veja outras recomendações:

  • mantenha os ambientes arejados;
  • evite perfume com cheiros fortes;
  • cuide do seu sistema imunológico, tendo uma rotina de exercícios físicos e uma boa alimentação;
  • limpe a casa e, principalmente, os ventiladores a cada 15 dias, pelo menos;
  • lave cortinas e tapetes a cada 2 meses.

O que fazer nos casos de alergias respiratórias em grávidas?

Cerca de 8% das mulheres em gestação se tornam mais propensas a alergias sendo, a maioria, do tipo respiratória. 

A alteração hormonal típica desse período (aumento de estrogênio e progesterona), aumenta a vulnerabilidade da gestante às inflamações — além de que o próprio pulmão se altera, como adaptação na região do tórax. 

Também existe a influência da piora do refluxo, que é relacionado à ocorrência da asma, e os eventuais transtornos psicológicos.

E o que fazer, afinal?

Realizar um acompanhamento com um médico, pois as recomendações básicas de prevenção não são suficientes para combater o quadro. 

Qualquer gestante com crise alérgica respiratória deve buscar o tratamento o quanto antes, tanto para o seu bem-estar, quanto para evitar complicações ao bebê.

Com isso, você pode ver que as alergias respiratórias podem ser mais frequentes nas estações mais frias e em grupos de pessoas específicas, como as gestantes. Por isso, é importante tentar preveni-las e ficar em alerta para a necessidade de atendimento especializado.
Se você já tem alguma doença respiratória e deseja fazer um acompanhamento ou ter uma orientação mais personalizada, marque a sua consulta conosco!

0 0 votos
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários