Dor no ouvido: causas e tratamentos

A dor no ouvido pode incomodar mais do que você imagina, principalmente as crianças. Esse sintoma costuma indicar otite, inflamação ou infecção no ouvido, mas pode vir acompanhado de outras queixas, como febre, coceira e dor de cabeça — necessitando até mesmo de atendimento de urgência.

São diversos os fatores que podem ocasionar dor no ouvido, ou otalgia, desde receber um vento mais frio, que contrai os pequenos músculos da região e a sensibiliza, quanto, mais explicitamente, um trauma.

Continue a leitura para entender o que causa e como tratar a dor no ouvido. 

Dor no ouvido: o que causa?

Como mencionado, a dor de ouvido pode ter diferentes causas e contextos.

Causas diretas

  • Água no ouvido

Apesar do canal auditivo ser estreito e tortuoso, o que naturalmente dificulta a entrada de líquido, a água ainda pode entrar — sobretudo no banho e no mergulho. Quando essa água se retém, ela começa a incomodar e gerar inflamação (otite externa).

  • Excesso de cera

Se você não consegue limpar todo o excesso de cera e não procura a lavagem com o otorrinolaringologista, ela se acumula e se torna ressecada, a ponto de gerar dor.

  • Infecções

As infecções são frequentemente relacionadas à água que entra no ouvido, principalmente de piscinas sem cloro. Os patógenos aproveitam o ambiente úmido do ouvido e infectam a região, o que também provoca a otalgia.

  • Diferença de pressão 

No limite entre a porção externa e média do ouvido, localiza-se a membrana timpânica, responsável por captar as vibrações do ar e transmiti-las também para o ouvido interno. Ao mudar de altitude (e, por isso, de pressão atmosférica), a pressão no ouvido externo se torna maior que a do ouvido interno, o que causa o desconforto auditivo. 

Causas indiretas

  • Distúrbios da Articulação Temporomandibular (ATM)

A ATM é uma junção articular entre o osso da mandíbula e a têmpora, porém esses ossos têm bastante proximidade à região do ouvido. Essa articulação pode sofrer desgaste e deslocamento crônico, sobretudo por desequilíbrio muscular na mastigação que, em cadeia, impacta no ouvido.

  • Amigdalite

Amigdalite e até aftas na garganta podem favorecer a dor no ouvido. A explicação é tanto a mera proximidade, como acontece com a ATM, como a proliferação de micro-organismos, no caso de infecções na garganta. 

  • Alterações dentárias

Nascimento do siso, cáries e bruxismo também prejudicam a ATM e ainda podem causar dor referida na região do ouvido. Lembrando que dor referida é aquela sentida em um local, mesmo que a origem seja em outro. Em outras palavras: é mais fácil, geralmente, perceber dor na pele do canal auditivo do que na raíz do dente. 

  • Doenças crônicas

Diabetes e doenças reumatológicas são comprovadamente associadas à dor no ouvido. Esses indivíduos podem ter o sistema imunológico enfraquecido, se exporem a infecções e, no caso dos os pacientes reumatológicos, alguns dos seus anticorpos interagem contra substâncias específicas do ouvido interno. 

Quais os possíveis tratamentos para a dor de ouvido?

Diante dessa variedade de razões, cada tratamento possui uma abordagem própria. Particularmente, nos casos mais indiretos, como dor no ouvido por disfunção da ATM, doenças crônicas, amigdalite e problemas dentários, o essencial é tratar a causa.

Quanto à água no ouvido, infecções e excesso de cera, normalmente, é necessário consultar um otorrinolaringologista para que ele prescreva os analgésicos apropriados, antibióticos, medicamentos que amolecem a cera, entre outros.

Principais recomendações

Além de buscar o tratamento seguro, é interessante que o paciente siga algumas recomendações, tais como:

  • apenas utilizar hastes flexíveis para limpar as regiões de cartilagem da orelha, nunca o ouvido;
  • evitar viajar de avião ou ir para serras quando estiver com algum incômodo no ouvido;
  • ao sair do banho, seja em casa ou na praia, secar o ouvido com o dedo enrolado em uma toalha;
  • ao conviver com diabetes ou outro problema crônico, manter a doença sob controle com a ajuda do especialista responsável;
  • não se automedicar com nenhum analgésico ou remédio que amolece a cera sem a supervisão de um otorrinolaringologista.

Muitos fatores estão relacionados à dor no ouvido, mas com o diagnóstico precoce e o uso das terapias corretas, este incômodo pode ser simples e passageiro.
Ao sentir qualquer incômodo, não hesite em nos procurar! Agende a sua consulta na unidade mais próxima.

0 0 votos
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários