O que você faz quando sente um pigarro na garganta? Coçar ou limpar a garganta não são as melhores soluções. Conheça as causas e como tratar os pigarros.

O pigarro é aquela vontade de ‘limpar’ a garganta antes de falar e, provavelmente, você já sentiu isso várias vezes ao longo da vida.

Porém, esse atrito pode até ferir as suas cordas vocais quando realizado repetidas vezes. O recomendado é identificar o que causou a irritação e prevenir a sua recorrência.

Neste artigo, você entenderá do que se trata o pigarro, por que deve se preocupar com ele e como tratá-lo. Saiba mais, a seguir.

O que é pigarro?

Na maioria das vezes, o pigarro é consequência do excesso de muco na garganta que desce do nariz. Em condições normais, ao longo do dia, produzimos, em torno de um copo de secreção, que vai sendo engolida.

Mas há momentos em que essa secreção aumenta, como durante as crises de sinusite, resfriados e afins.

Em casos mais incomuns, o pigarro também pode indicar a presença de um corpo estranho.

O que pode ser pigarro constante?

O excesso de muco pode ser provocado por inflamações. Em geral por irritação pelo contato com ar condicionado sujo, falta de hidratação, entre outros. Acompanhe e entenda melhor:

Alergias 

Asma e sinusite são exemplos de alergias respiratórias que podem desencadear o pigarro. 

Em resposta às crises, as células do sistema imunológico liberam substâncias para combater os alérgenos, o que também causa o desconforto na garganta. 

Gripes constantes

Os quadros gripais igualmente mobilizam células de defesa no corpo, incluindo a garganta  (faringe). Por causa disso, instala-se uma inflamação local com acúmulo de muco consequente. 

No geral, ao consultar um otorrinolaringologista, ele realiza uma endoscopia nasal e verifica a presença de muco nesta região. 

Refluxo faringo-laríngeo

O refluxo é, a grosso modo, os efeitos do refluxo gástrico ao nível da garganta. Enquanto o refluxo causa azia no estômago, o ácido estomacal também pode retornar para a laringe e a faringe, causando o pigarro e deixando a região inchada. 

Alterações no esfíncter inferior do esôfago, isto é, uma ‘válvula’ muscular que impede o retorno dos alimentos para o esôfago durante o ato de engolir, hábitos alimentares inadequados e predisposição genética também são causas do refluxo.

O otorrinolaringologista pode dispor do exame de laringoscopia nesses casos, para ter uma visão detalhada da garganta, avaliar a presença de secreção etc.

Tabagismo

O cigarro pode alterar as superfícies das vias áreas, como a faringe. 

Assim como na gripe, as células de defesa aparecem para proteger a região e acabam gerando a sensação de pigarro.

Laringite crônica

Não só laringites, mas faringites, amigdalites e outras doenças da garganta também cursam com o pigarro. 

A sensação é de inchaço na garganta e, além do pigarro, também surge rouquidão, tosse e dor.

Irritações sistêmicas 

Além do refluxo, alimentos alergênicos podem estimular a formação dos CIC (compostos irritativos circulantes) — substâncias irritantes que atingem os tecidos e, em consequência disso, causar os pigarros.

Câncer de laringe

O pigarro pode ser um dos primeiros sintomas de câncer de laringe, normalmente acompanhado de dor de garganta, alterações na voz e dificuldade para engolir.

Lembre-se de que todo câncer tem maior potencial de cura com o diagnóstico precoce. Por isso é importante conhecer a causa de um pigarro que não cura.

Como tratar o pigarro?

O primeiro passo é fazer uma avaliação com um otorrinolaringologista. Ele irá realizar os exames necessários e, eventualmente, prescrever antibióticos e outros medicamentos. 

Já no seu dia a dia, é importante seguir algumas recomendações, como:

  • beber água e manter a garganta hidratada; 
  • usar umidificador nos ambientes;
  • manter a casa arejada e limpa;
  • fazer nebulização com água quente, com o auxílio de um aparelho, quando o pigarro incomodar;
  • tomar chá de mel e limão para ajudar a eliminar a secreção da garganta;
  • respirar fundo e engolir com força ou fazer gargarejos sempre que sentir vontade de ‘limpar a garganta’ ou pigarrear;
  • evitar se deitar logo depois de comer para evitar o pigarro decorrente de refluxo.

A sensação do pigarro, uma hora ou outra, chega para todo mundo. O importante é evitar pigarrear e buscar um especialista que investigue o surgimento desse sinal.
Encontre uma unidade do Oto Grupo mais próxima de você e marque a sua consulta!

0 0 voto
Article Rating
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários